Problemas na criação



Algumas raças têm problemas altamente transmissíveis e já fixados. Surdez, catarata precoce, etc. É um trabalho muito difícil de se realizar, mas o certo seria afastar da reprodução exemplares que transmitam essas doenças e tentar buscar acasalamentos mais abertos e entre animais que não possuam problemas e nas gerações seguintes fazer o mesmo procedimento. O grande problema é que podemos gerar animais que apresentem características anatômicas e comportamento indesejáveis para a raça e até mesmo, ao longo dos anos, levar a raça a ficar atípica.
Acho que deve ser preservada toda a função original, mesmo que nos tempos modernos não se aplique. O criador deve ter consciência que está com ele a responsabilidade de manter a raça com tipicidade e para isso as funções são fundamentais para a preservação. E isso vale para todas as raças. Quando se despreza esse item, a movimentação do cachorro muda, a anatomia sofre alterações, o tamanho reduz ou aumenta. As funções que os cães desempenhavam nas origens fizerem com que eles sobrevivessem através dos tempos, encantaram as gerações seguintes de criadores e fizeram com que a raça estivesse entre nós nos tempos atuais.
Dentre os animais que conhecemos, o cão foi o animal que mais evoluiu com o homem, talvez pela proximidade do relacionamento tenha possibilitado isso. As raças sofreram grandes modificações desde suas origens, tiveram que se adaptar como o homem à vida moderna e o único elo de preservação são as origens.
Nos Estados Unidos, os cães não caçam como nas origens, mas além das provas de beleza, existem provas de Lure Coursing, hunting, aonde eles vão para o campo e fazem uma perseguição por um tempo determinado a uma presa artificial e podem mostrar sociabilidade, espírito de grupo, além do instinto de farejar, perseguir, acuar. Graças a isso, podemos continuar mantendo a anatomia que possibilite as raças a desempenharem essas funções e assim não perderam a tipicidade.
Provavelmente, o uso fechado de parentes deve afetar o VIGOR HIBRIDO. Quanto mais você apura uma espécie, uma raça, uma linhagem, um determinado cão, Você começa a gerar os problemas de fragilidade. Talvez seja isso que explique a grande resistência dos cães mestiços. A miscigenação proporciona a diluição dos fatores que são transmitidos geneticamente. Quando você começa a acasalar fechando as linhagens, você pode fixar qualidades, mas os defeitos também podem vir acompanhados e alguns muito graves. Só se acasalam parentes quando se conhece muito bem a linhagem e os problemas que você tem nela. Quando se busca a seleção e fixação de tipos ou estabelecer uma linhagem, pode ser afetado o vigor hibrido, como outros componentes do animal, como temperamento, equilíbrio mental, anatomia, movimentação, etc. Quando você adquire experiência e aprende a fazer os acasalamentos corretos, as coisas vão melhorando.